Como lidar com erros?

Os erros devem ser interpretados como uma oportunidade de aprendizado.  Isso quando o processo de errar se transforma em novas descobertas. O erro pelo erro só traz frustrações e, claro, custos…
Portanto, a questão  é “errar com inteligência “ ou seja, promover o erro como tentativa de acerto e não  como uma inconsequência.
Lidar com a existência do erro é sinal de maturidade e equilíbrio. Os profissionais que, de antemão, criticam os erros são quase sempre os mais acomodados e passíveis. Porque errar é provocar incertezas e muitas pessoas preferem a “paz dos cemitérios” à turbulência das inovações, das tentativas e das mudanças. 
O erro, desta forma, é um componente do empreendedorismo e deve ser interpretado como uma espécie de pedágio para se alcançar o acerto…
O papel do gestor ou do líder é de aguçar sua sensibilidade para interpretar e entender os erros no universo da proatividade, da capacidade de tentar caminhos alternativos, no desafio de quebrar paradigmas.
É claro que a incidência repetitiva de erros sem a derivação para os acertos (mesmo que demorados ) é bastante complicado para as organizações de maneira geral. 
Nessas horas não há opção se não mudar os que insistem em errar sem pesar as consequências e sem aprender com os erros. 
Basta ter em mente que nenhum resultado é sustentável e consistente  sem o equilíbrio entre acertos e erros. E isso é uma tarefa da liderança, através de orientação, feedback e gestão do desempenho.